Menu

Reflexologia e Reflexoterapia: a cura a seus pés (e mãos!)

setembro 20, 2013 - Bem estar, Corpo, Saúde
Reflexologia e Reflexoterapia: a cura a seus pés (e mãos!)
Rate this post

“Quando os nervos dos pés forem corretamente entendidos, haverá menos necessidade de intervenções cirúrgicas.”
William Osler (1849-1919), médico e profundo conhecedor de Reflexologia Podal.

Reflexologia é o estudo das chamadas áreas reflexas: pontos em seu corpo que “refletem” em outros, quando estimulados. Já o término reflexoterapia é a utilização da reflexologia como terapia. Trata-se de um tratamento da medicina natural e holística, que, apesar de ser reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ainda não conta com estudos suficientes para atestar sua eficácia. Isso sim, quem a usa atesta a credibilidade!

Existem ao menos duas técnicas diferentes: o Do In, japonês e o Tui Na, chinês. Ambas têm o mesmo embasamento e trabalham de formas semelhantes. Iremos tratar delas de maneira mais aprofundada em futuros posts.

A ideia geral da reflexologia é que em nossos pés, mãos, orelhas, coluna, face, crânio e boca existem certos pontos que correspondem a áreas e órgãos do corpo e que, quando estimulados de maneira correta, beneficiam a saúde, melhorando a fluência do Ki ou Chi.

Reprodução

Reprodução

Reflexologia e as críticas

Como não se conhece evidências científicas sobre a existência do Ki ou Chi, muitos detratores costumam afirmar que se trata de uma pseudociência, de um placebo, ou até mesmo de puro charlatanismo.

Felizmente, a cada dia, a reflexologia ganha mais adeptos, porque, para muitos, sim, ela funciona. E, assim como aconteceu com a acupuntura, esperamos que estudos sérios venham a assegurar a eficiência desse tratamento.

Colocando minha experiência pessoal neste artigo, atesto o poder e a validade da reflexoterapia. Comecei a fazer uso de técnicas de reflexologia podal, das quais também falaremos futuramente, há pouco mais de três anos e, desde então, noto seus benefícios.

Reprodução

Reprodução

Ao se tratar de uma técnica que, além de curativa, também é aplicável em momentos de emergência, sua ação me demonstrou ser bastante rápida para dores localizadas, como a de cabeça, por exemplo, ou para prisão de ventre.

E você? Já testou essa terapia? Me conte como foi e o que achou lá na nossa página do Facebook!

Como repeti várias vezes neste post, voltaremos a este assunto, pois é bastante extenso, e há muito que falar sobre ele.

Continue nos acompanhando!

Renata Brinati

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.