Menu

Conservantes naturais vs. Conservantes químicos

novembro 20, 2013 - Alimentação, Corpo, Nutrição, Saúde
Conservantes naturais vs. Conservantes químicos
Rate this post
food-additives

Reprodução

 

A conservação dos produtos alimentícios sempre foi uma enorme preocupação do homem, já que, em épocas anteriores a geladeiras, supermercados e freezers, se havia de ter comida no período entre uma colheita e a outra.

 

Hoje em dia, já não recorremos a métodos pouco funcionais como, por exemplo, esconder batatas na areia, sistema muito comum em países da Europa até, relativamente, pouco tempo. E, com o progresso, também chegaram os chamados conservantes químicos, as substâncias desenvolvidas em laboratório para manter nossos produtos frescos. Porém, vale questionar: até que ponto são bons?

 

Claro que os produtos químicos sempre têm alguma influência em nosso corpo. E, admitamos, em sua maior parte, são influências negativas. No caso de alguns conservantes químicos, como as substâncias derivadas do dióxido de enxofre – conhecido pelo código E220 –, eles podem aniquilar a vitamina B1 do corpo humano. E não para por aí! Suspeita-se que possuam ação cancerígena, além de estar provado que exercem ação mutante em células de mamíferos. Assustador?

 

O mais assustador realmente é que a lista não para no E220. Temos muitos outros tipos de conservantes químicos e poucas boas notícias sobre eles.

 

O que fazer?

Felizmente, uma grande quantidade de alimentos conta com os chamados conservantes naturais. Tomemos como exemplo os iogurtes, que duram muito mais que o leite, devido ao ácido láctico elaborado durante sua fermentação.

 

Outros alimentos como o alho, a cebola e a maioria das especiarias contêm potentes agentes antimicrobianos ou agentes que serão criados depois de triturados.

 

A indicação é sempre evitar o consumo de conservantes químicos. Leia os rótulos e se informe sobre que classe de conservantes leva cada produto.

 

Luz dentro da geladeira

 Mas devemos ser justos. Vários grupos de pesquisadores, tão assustados como nós, estão trabalhando com muito afinco na tarefa de encontrar o meio termo entre a indústria e a vida. Com base especialmente em antigas tradições chinesas, se vem desenvolvendo mais e mais conservantes químico-naturais com base em especiarias. Já hoje encontramos muitos conservantes feitos a partir do tomilho, da canela e da sálvia.

 

Esperamos que em um futuro próximo todos os agentes negativos para nossa saúde possam ser eliminados!

 

Renata Brinati

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.